quarta-feira, 21 de maio de 2014

4 anos

Por coincidência, estou relendo o blog hoje, o exato dia em que completamos 4 anos morando no apartamento. Estou considerando a ideia de fazer o meu TCC do MBA em Gestão de Projetos sobre a reforma de um apartamento, baseada nas experiências que tive nesta obra.

Como o apartamento está hoje:
Tudo o que a gente deixa como provisório acaba ficando, não é? Com o apartamento foi assim. Até hoje não instalei uma porta que separaria o home office da sala, não subi o fundo da churrasqueira que o meu marido tanto pede, e não corrigi alguns defeitos que o pintor deixou pra trás no quarto verde.
Modéstia à parte, gostei do meu projeto! hahaha Tudo funciona como planejei: circulação de ar, iluminação, móveis atendem às necessidades. É tão bom morar num lugar quanto tudo funciona "redondinho"!
Mas já é necessário manutenção.
Houve novamente vazamento causado pela má instalação do móvel no banheiro da suíte. Tirei o fundo, pra ficar visível caso ocorra novamente.
O vaso sanitário do banheiro social segue entupindo de vez em quando, o que acontece desde a obra, quando nunca tinha sido usado. Tenho quase certeza de que o problema é entulho de obra nos canos, impedindo o escoamento. Como a empresa que chamei queria arrancar tudo pra verificar, estou tentando evitar a quebradeira até que for possível.
A argamassa do piso do banheiro social está pedindo atenção faz tempo. O pessoal da hidráulica que chamo de tempos em tempos pra fazer limpeza diz que se não for feito, vai ocorrer vazamento.
A verdade é que teria que chamar um faz-tudo pra resolver esses vários pequenos problemas, mas a sujeirada que isso causa me desanima.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Mudando um pouco de assunto... parte III


O quê: Filó Italiano de Vila Flores
Onde: Rua Luiz Roncatto, 31 - Vila Flores/RS - Brasil
Quando: funciona por agendamento - (54) 3447-1051 ou (54) 3447-1313 (em horário comercial)

Como acontece?  

Os visitantes são recepcionados na Casa do Artesão por um grupo de voluntários, descendentes de italianos, caracterizados com roupas da época e à luz de lampiões. São conduzidos até a parte térrea da casa, onde funciona a mostra de artesanato e onde a história de seus antepassados é contada em primeira pessoa, como testemunho.



Ali, os visitantes aprendem sobre como era duro o dia de trabalho dessas pessoas, que chegaram ao Brasil com pouquíssimos pertences depois de uma longa viagem de navio, sem falar o idioma local e tendo que desbravar uma terra desconhecida, de florestas e também de animais ferozes. 

 
 
Minha vó ouvia a história e também participava como testemunha; meus filhos assistiam a tudo interessados.
Um dos momentos que mais marcou minha filha de 8 anos foi o final dessa primeira parte, quando eles perguntam:
 
"mas será que a vida dos imigrantes só consistia em trabalho e sofrimento??",
 
e convidam todos a descer ao porão da casa, onde agora sim iria começar o filó. 
Ao descer, fomos recepcionados com uma festa, com direito a muita música tocada com gaitas (acordeons) e muita, mas muita comida.  

Recepção no porão da casa



Polenta feita na hora





Comida à vontade!
Sabia que seriam contadas piadas no dialeto vêneto, e pensei que me sentiria deslocada por não entender, mas pra minha surpresa, entendi tudo (e ri bastante!). Acredito que dessa vez não tenham traduzido ou falado em português porque sabiam que não seria necessário. 
Achei que as piadas seriam a única diversão, mas me enganei. Foram horas de muitas brincadeiras, risadas e deliciosas comilanças.
Até que terminam dizendo: "e é assim que os imigrantes se divertiam!", nos deixando com um sentimento de "mas já acabou?? Eu queria mais!!".
Minha filha foi quem primeiro demonstrou ter entendido a intenção dessa mostra, afirmando que "nem percebeu que estava se divertindo e participando de uma festa como os italianos faziam".
E essa é a graça toda do Filó Italiano de Vila Flores: é um envolvente resgate à cultura da imigração italiana, aliando também gastronomia e lazer, onde os visitantes se sentem dentro da história.
Ali, minha família e eu nos sentimos realmente como convidados na festa da casa de amigos. 

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Mudando um pouco de assunto... parte II

MAS AFINAL, O QUE É FILÓ?

Tranças de palha feitas durante o Filó Italiano de Vila Flores

O filó faz parte da cultura italiana e se intensificou com a imigração, pois dava forças para que as pessoas seguissem adiante e aguentassem as saudades da Itália e a solidão.
Tudo iniciava com a saída de casa, indo em direção à residência onde se agrupariam. Todos iam cantando muito alto para convidar os vizinhos para que se juntassem a eles e também para espantar os animais.
Era momento de conversar, rezar, contar casos, fazer trabalhos manuais (daí o nome, vindo da fiação que as mulheres realizavam) e negócios, jogar, cantar e se divertirem, sempre com muita comida.
Até hoje ainda ouço de vez em quando alguém lá na minha terra dizendo que "vai fazer filó" quando quer dizer que vai visitar alguém à noite e ficar até tarde.

Alguns links:
http://artesaosvilaflores.webnode.com/
http://www.turismo.rs.gov.br/portal/index.php?q=galeria&cid=312&g=19
http://www.ferias.tur.br/informacoes/8299/vila-flores-rs.html

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Mudando um pouco de assunto... parte I

Viajando pela serra gaúcha?
FILÓ ITALIANO DE VILA FLORES


Casa do Artesão em Vila Flores - RS
Quando estava por fazer meu Trabalho de Conclusão de Curso, não sabia exatamente qual assunto escolher. Só sabia que queria algo relacionado à minha terra, a serra gaúcha.
Ao fazer as pesquisas iniciais, vi que poderia elaborar um projeto que favorecesse o turismo, e ainda que valorizasse a história da imigração italiana, tão admirada por mim. Seria uma forma de eu demonstrar a gratidão por essa gente, que tanto batalhou para que hoje nós, seus descendentes, pudéssemos ter uma vida melhor do que a que eles próprios tiveram. 
Dentre os possíveis locais escolhidos por mim para fazer a intervenção arquitetônica, estava a Casa do Artesão, da pequena cidade de Vila Flores. Ela funciona numa casa construída em 1886 por um imigrante italiano em outro local e reconstruída ali. E, por acaso, esse imigrante é um antepassado meu.


Artesanato exposto
Por motivos técnicos, acabei escolhendo outro local para a intervenção (talvez assunto para outro post), mas mesmo deixando à parte a ligação emocional com o  local, fiquei com muita curiosidade em conhecer o filó italiano que funciona ali, já que soube que há muita procura por turistas: 6 meses de espera para reservas no sábado à noite.
Já fazia alguns anos que minha família e eu queríamos ir para o filó - que é apresentado a grupos fechados de 30 a 50 pessoas - mas minha avó, a principal integrante do grupo, não queria, talvez por saber que faria uma viagem ao passado e se recordaria de momentos difíceis. Mas como em julho ela completou 82 anos e o filó seria uma forma de comemorar e reunir a família, marcamos para o domingo à noite, às vésperas do feriado de 7 de setembro, e lá fomos nós, 34 pessoas.
No próximo post contarei em detalhes como descobri o porquê de tanta procura pelo filó. Quem passar pela região e tem interesse na cultura, não deixe de assistir, vale mesmo à pena.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Dia #150

E sim, a meu ver a banheira está funcionando satisfatoriamente!
Agora é só esperar o marido dar seu parecer.

Engraçado... acho que resolvi tanto problema, me revoltei tanto, tive que ser reclamenta tantas vezes, que acostumei a ser rabugenta. Não há mais grandes problemas, mas não consigo relaxar. Parece sempre que ainda tem algo por fazer - e talvez é porque ainda tenha. rss Mas são coisas pequenas agora, apenas detalhes.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Dia #149 e finalmente uma notícia boa (apesar de parcial)

Um dos funcionários que fizeram a instalação da banheira esteve aqui hoje, finalizando a retirada do filtro. Ontem ele retirou, e hoje veio pra instalar o pedaço de cano que ficou faltando.
Não sei como a fotólatra aqui não registrou o filtro em "Y" instalado. Falha grave! rss Mas aqui vão as fotos do filtro e da instalação atual:

Este é o filtro em "Y", que foi instalado por orientação da empresa que fez a instalação, com a intenção de reter os resíduos sólidos, já que o ralo ficou com difícil acesso para limpeza:














Ele estava instalado ali, onde agora está esse pedaço de cano, que não é colado e portanto ainda permite acesso ao interior do encanamento:


A tampa que cobre a abertura no mármore: 

Então... a notícia boa é que parece que realmente era culpa do filtro. Foram feitos testes, e aparentemente a água escoou conforme esperado. Fomos até o apartamento da vizinha de baixo pra ver se tinha algum vazamento, mas está tudo ok.
Agora só resta tomar um banho e ver se realmente a água escoa bem. 

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Dia #148

Hum... o que eu tenho pra contar?
Ah, sim, a lista:

1.nichos - gente... ok! Dá pra acreditar? Claro, depois de meses e meses de atraso, e depois até de o pintor ter finalizado a parede, mas os nichos finalmente foram instalados!



2.regulagem de uma porta de correr do closet que está batendo e riscando - foi feita!


3.corte de 2 gavetas, que estão batendo na porta - tb foi feito!


4.regulagem de praticamente todas as gavetas, que ficaram pesadas demais - ah, isso eu sinceramente desisti. Pedi pra regular as piores.


5.instalação de limitador numa porta de correr do closet - instalaram só onde eu pedi na hora, mas vou pedir mais, pq todas as portas de correr batem


6.correção da instalação do forno elétrico - passei muita, muita raiva (o montador "que tudo resolve" é a pessoa mais arrogante que eu já conheci na vida), mas está feita.
 
Agora dá pra dizer que fora a banheira o que me dava dor de cabeça foi feito.
Até varal na área de serviço temos agora! rss
Nao esqueci do post sobre a instalação do forno não, tá? Vou falar sobre isso com calma.